Partido da Família Bolsonaro quer ser a nova Arena, o partido da ditadura

Deveria se chamar PFB (Partido da Família Bolsonaro) esse novo ajuntamento que estão parindo em laboratório no Palácio do Planalto para botar a mão na grana do Fundo Partidário.

Como tantas outras das 32 siglas existentes, esta “Aliança pelo Brasil”, o nome de fantasia criado pela famílícia, não quer dizer absolutamente nada.

O nome lembra a Aliança Renovadora Nacional, alcunhada de Arena, o partido criado pelos militares para defender a ditadura de 1964 no Congresso Nacional.

Tudo é fake nesta operação tabajara do capitão, capitaneada pelos filhos no zap-zap, para “libertar a população da destruição de valores cristãos e morais”.

O fundamentalismo religioso do bando miliciano-militar que assumiu a República é tão tosco e falso como uma nota de sete reais: “Fé, honestidade e família”.

Sim, e daí?

E daí é que o Brasil terá pela primeira vez na vida um partido da ultradireita legalizado, que já tem até um

Continue lendo no Balaio do Kotscho.