Igualar Lula a Bolsonaro favorece autoritarismo do presidente

Com a perspectiva de Lula livre, começou a se repetir a história contada em 2018: igualar o petista a Bolsonaro. É a falsa isenção, o falso equilíbrio. O ex-presidente é um moderado de esquerda compromissado com a democracia. O atual presidente da República, um extremista de direita autoritário.

Luiz Inácio Lula da Silva e Jair Bolsonaro não são dois lados da mesma moeda. Equalizar diferenças gritantes é normalizar Bolsonaro, dando vantagem a um personagem que despreza a democracia.

O futuro político-eleitoral de Lula dependerá dos defechos dos sete processos aos quais ele responde hoje. Atualmente, isso é algo aberto para o petista, que tem dito a quem conversa com ele estar ciente das dificuldades.

O ex-presidente tem afirmado que pretende voltar a fazer política, organizando a oposição. Uma eventual candidatura dependeria de conseguir derrubar condenações que já foram dadas e evitar futuras sentenças negativas.

Obviamente, se Lula estiver livre de

Continue lendo no Blog do Kennedy.