Eles são todos malucos e sociopatas: agora perseguem até estátua

Num governo de Bolsonaros, Damares, Moros, Mourões, Weintraubs, Araújos, Helenos, Villas Bôas e outras espécies do gênero, fica difícil dizer qual deles é mais maluco.

A característica comum é a sociopatia, a falta de compaixão, o descaso com os mais pobres, o espírito de vingança e de ódio, a perseguição à cultura, à ciência, às minorias, ao meio ambiente, aos adversários e aos diferentes.

Em sua guerra contra o mundo, nem as estátuas escapam.

A última do chanceler terraplanista do nazismo de esquerda foi mandar tirar do Itamaraty a estátua de San Tiago Dantas, um dos maiores nomes da diplomacia brasileira, como relata Lauro Jardim em sua coluna no Globo deste domingo.

O crime do qual o grande diplomata é acusado pelo inacreditável e inverosímel Ernesto Araújo: Dantas reatou as relações do Brasil com a União Soviética.

Alguém precisa avisar urgentemente o lunático chanceler bolsonariano que a União Soviética já

Continue lendo no Balaio do Kotscho.