Os separatistas catalães voltam às ruas após sentença histórica contra líderes

Quase oito anos de processo separatista na Catalunha, que culminaram em uma declaração de independência fracassada em 2017, resultaram em sentenças de nove a 13 anos de prisão na segunda-feira para seus principais impulsionadores e na reativação da ordem de detenção para o ex-presidente forgido da Justiça espanhola, Carles Puigdemont. O Supremo Tribunal encerrou um dos processos mais complicados que já enfrentou. E fez isso com condenações, sim, mas sobretudo lançando uma acusação profunda contra os dirigentes do movimento, a quem acusa de querer realizar “uma mera quimera” e um “artifício enganoso” que vem condicionando a vida pública espanhola desde 2012.

Seguir leyendo.


Continue lendo no EL PAÍS Brasil.