Pela enésima vez: esquerdistas não são liberais e o socialismo ainda não morreu!

Por Rodrigo Constantino | Gazeta do Povo

Bolsonaro teria atacado “inimigos imaginários” em seu discurso na ONU, ao falar de socialistas. Assim reagiu a imprensa em peso. O editorial do Estadão, por exemplo, partiu para cima do presidente:

O que se ouviu, no entanto, foi um ataque feroz contra um inimigo imaginário e a favor da intolerância – que desde sempre alimenta os discursos de Bolsonaro, agora amplificados pela sua condição de presidente da República.

Logo no início do pronunciamento, Bolsonaro tratou de nomear seu grande desafeto, dizendo que o Brasil “ressurge depois de estar à beira do socialismo”. E continuou, para perplexidade geral: “Meu país esteve muito próximo do socialismo, o que nos colocou numa situação de corrupção generalizada, grave recessão econômica, altas taxas de criminalidade e de ataques ininterruptos aos valores familiares e religiosos que formam nossas tradições”.

O comentarista Guga Chacra, no GLOBO, foi na mesma


Continue lendo no Blog do Rodrigo Constantino.