Distorções da mídia afetam sua credibilidade: o caso de Gabriel Monteiro, o PM que “agrediu” um jovem no enterro de Ágatha

Por Rodrigo Constantino | Gazeta do Povo

Quando a mídia se transforma numa fábrica de Fake News, o público percebe e se afasta, ainda mais na era das redes sociais. Não há mais o monopólio da informação, pois cada um pode procurar na internet outras versões, ou melhor, os fatos.

As manipulações ideológicas da imprensa foram tema da minha coluna na Gazeta impressa deste fim de semana, resenha do livro novo de Mark Levin, Unfreedom of the Press. Um caso claro que ilustra isso ocorreu este fim de semana, com o enterro da menina Ágatha Félix, numa operação policial no morro do Alemão.

A politização da tragédia foi imediata, e atores em baixa aproveitaram para tirar casquinha do episódio, além de vários “progressistas” que desejam boicotar o projeto anticrime do governo Bolsonaro.

falei de quão abjeta e inaceitável é a politização disso, sob o risco de perdermos a humanidade, o


Continue lendo no Blog do Rodrigo Constantino.