Chega da velha prática de acobertamento de malfeitos dos políticos

Por Rodrigo Constantino | Gazeta do Povo

Por Júlio César Cardoso, publicado pelo Instituto Liberal

Intensificam as divergências internas no PSL, partido do presidente Jair Bolsonaro, em relação à CPI da Lava-Toga, que tem por objetivo investigar o “ativismo judicial”, principalmente no Supremo Tribunal Federal.

Nesta segunda-feira 16, o líder do partido Major Olímpio (PSL-SP) pediu a saída de Flávio Bolsonaro na sigla. “Nós que representamos a bandeira anticorrupção do Presidente. Eu tentei convencê-la (senadora Juíza Selma, de saída para o Podemos) a ficar e resistir conosco. Quem tem que cair fora do PSL é o Flávio, não ela. Gostaria que ele saísse hoje mesmo”, disse ao jornal O Estado de S.Paulo.

Quem tem rabo preso e sujo que aguente as consequências. O que não pode é  continuar a velha prática de acobertamento de malfeitos dos políticos.

Se há crítica e desejo de punição dos demais políticos indecorosos, que se locupletam com o dinheiro público, 


Continue lendo no Blog do Rodrigo Constantino.