A cultura da incultura

Por Rodrigo Constantino | Gazeta do Povo

Por Jocinei Godoy, publicado pelo Instituto Liberal

Começo este texto com uma “profecia” certeira do grande poeta e crítico literário T. S. Eliot (1888-1965) sobre o que se poderia considerar acerca da decadente ideia de cultura: “[…] Não vejo razão por que a decadência da cultura não devesse ir muito mais longe, nem por que não possamos prever um período, de alguma duração, do qual se pudesse dizer que não tem cultura.”[1] Essa citação de Eliot soa como um estrondo ao ouvido do leitor mais atento ao atual estado de coisas que ainda podemos chamar de cultura.

Foi pelas lentes do escritor peruano Vargas Llosa, prêmio Nobel de Literatura, que pude notar de forma mais clara o poço sem fundo no qual nossa cultura tem sido lançada neste tempo. Llosa reconhece a civilização deste tempo como “a civilização do espetáculo”, nome dado a


Continue lendo no Blog do Rodrigo Constantino.