O espantalho bolsonarista: “mas Maia não era o queridinho da imprensa, um estadista?”

Por Rodrigo Constantino | Gazeta do Povo

A aprovação da “minirreforma partidária e eleitoral” ontem na Câmara gerou grande revolta na sociedade, e uma guerra de narrativas tomou conta das redes sociais. 252 deputados legislaram em causa própria, virando as costas para o povo. Entre eles, a liderança de Rodrigo Maia, presidente da Câmara, que disse ter levado em conta as críticas legítimas ao projeto, mas resolveu ignora-las mesmo assim.

Todos aqueles acusados de “isentões” ou “prostitutas do Centrão” pelos bolsonaristas não pouparam Maia de pesadas críticas. O MBL, por exemplo, espalhou mais de um meme contra o corporativismo dos políticos, destacando a imagem do próprio Maia:

Imediatamente, passou a circular no Twitter a entrevista recente de Kim Kataguiri, ligado ao MBL, em que dava uma nota 8 ao presidente da Câmara, com foco na reforma previdenciária. Usaram isso como “prova” de que o MBL é “maiete”, ou seja, puxa-saco do


Continue lendo no Blog do Rodrigo Constantino.