MPF apura corte em benefício de atingidos pela tragédia de Mariana

O MPF (Ministério Público Federal) informou 6ª feira (13.set.2019) que solicitou formalmente à Fundação Renova informações sobre cortes do auxílio emergencial mensal concedido a alguns atingidos da tragédia de Mariana (MG). De acordo com o órgão, aproximadamente 140 pessoas foram comunicadas por telefone que deixarão de receber o benefício.

O auxílio emergencial mensal é uma das medidas pactuadas após o rompimento da barragem da Samarco em novembro de 2015. A tragédia levou à morte 19 pessoas, ocasionou destruição em comunidades e causou poluição em dezenas de municípios na bacia do Rio Doce.

Conforme acordo judicial, todas as pessoas que tiveram suas atividades econômicas interrompidas em decorrência do episódio, devem receber o benefício. A quantia é de 1 salário mínimo, acrescido de 20% para cada dependente, além do valor de uma cesta básica. O cancelamento não pode feito antes que as atividades produtivas tenham se restabelecido.

Receba a newsletter do Poder360
todos os dias no


Continue lendo no Poder 360.