Bolsonaro e Centrão evitam teste da votação da cobrança da bagagem aérea

A suspensão da sessão do Congresso por falta de quórum, nesta quarta-feira 21, adiou para a próxima semana a votação do veto à gratuidade das passagens aéreas.

Com isso evitou-se colocar à prova a unidade do Centrão, sua propalada força e a aproximação do bloco com o governo nas questões econômicas.

O bloco informal que congrega cerca de 200 deputados e tem decidido as votações no Congresso tem votado com o Planalto em temas ligados à economia. Mas dessa vez parece rachado.

Com isso, corre sério risco de ser derrubada a cobrança das bagagens defendida pelo governo.

A polêmica foi instaurada durante a votação da medida provisória 863, em junho, que autorizou a participação de 100% de capital estrangeiro em empresas aéreas com sede no Brasil.

O Congresso acrescentou ao texto uma emenda estabelecendo que a gratuidade valeria para bagagem de até 23 quilos em aviões com capacidade acima de 31

Continue lendo na Tales Faria.