Vamos falar sério? Esse filho do homem não pode ser embaixador. É um acinte

Pense num absurdo. No Brasil, tem precedente.

De todas as barbaridades que Jair Bolsonaro já disse e cometeu na Presidência da República, esta certamente é a maior de todas, um verdadeiro acinte à nacionalidade.

O pior de tudo é que a indicação do filho Eduardo, um sujeito absolutamente desqualificado para a função, como embaixador do país nos Estados Unidos, vai sendo assimilado como algo normal.

Não se vê nenhuma reação da sociedade a esta esculhambação, que não era fake news, como a princípio parecia.

“Se você fosse presidente, não indicaria também um filho teu como embaixador”, perguntou-me ontem um motorista de táxi bolsonarista de raiz, e deu uma gargalhada.

Essa é a nova cara do Brasil que estava escondida nos armários dos hospícios e saiu triunfante para as ruas.

Onde estão os pomposos embaixadores de carreira para impedir que se consume esta completa desmoralização ao Itamaraty?

A única voz de

Continue lendo no Balaio do Kotscho.