E a reforma da Previdência ficou para agosto

A Previdência ficou para agosto. No início da semana passada, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, estava otimista quanto à passagem da reforma neste semestre. A expressiva vantagem na aprovação do texto-base em primeiro turno, por 379 votos a 131, reforçou a convicção. Mas a desarticulação da base governista no momento da análise dos destaques atrasou o processo. Ao final, quatro mudanças foram aprovadas, incluindo aquela pela qual o presidente Jair Bolsonaro pressionou, aumentando vantagens…


Continue lendo no Canal Meio.