Vozes do levante

O slam – um torneio de poesia em que os participantes declamam seus poemas em voz alta e têm seus textos e performances julgados por um júri popular – se irradiou, nos últimos anos, pelas periferias brasileiras. Agora, em 2019, o movimento aporta no mais importante evento literário do país, a Flip, a Festa Literária Internacional de Paraty. O torneio da Flip será comandado pela paulista Roberta Estrela D’Alva, do coletivo de teatro e hip-hop Núcleo Bartolomeu de Depoimentos, responsável pela introdução do slam no Brasil. Seis poetas, cinco estrangeiros e uma brasileira, se revezarão no Auditório da Praça, na sexta-feira, dia 12 de julho, a partir das dez da noite.

Entre novembro e dezembro de 2017, a repórter Consuelo Dieguez acompanhou três rodas de slam na favela do Vidigal, na Zona Sul carioca, e a final do Slam BR, no Sesc Pinheiros, em São Paulo. A seguir, ela

Continue lendo na Revista Piauí.