O carteiro de Lula

Como em todo feriado, o ex-presidente Lula ficaria isolado ao longo dos quatro dias de Corpus Christi, no final de junho. Nem as visitas de quinta-feira a que, em geral, tem direito, nem as reuniões com seus advogados ocorreriam. Na véspera do recesso, o pendrive com filmes, séries e podcasts que o entretêm na cadeia foi gravado. Seu auxiliar Marco Aurélio Santana Ribeiro é o responsável pela tarefa – Lula e seu entorno o chamam de Marcola. Na quarta-feira, 19 de junho, Marcola incluiu no pendrive o documentário Democracia em Vertigem, que estreara naquele dia na Netflix. Sozinho em sua cela em Curitiba, Lula reviu cenas como aquela em que arruma a mala que levaria consigo para a Superintendência da Polícia Federal, 438 dias antes. Na semana seguinte, o ex-presidente voltou a ter contato externo. Fez chegar a Marcola uma carta dirigida a Petra Costa, a diretora do filme. Uma

Continue lendo na Revista Piauí.