Na era da Lava Jato, Supremo nunca afastou juiz

Impedir um magistrado de julgar ação judicial por considerá-lo suspeito é prática rara no Judiciário brasileiro. Nos últimos cinco anos, o Supremo Tribunal Federal (STF), o Superior Tribunal de Justiça (STJ) e os cinco Tribunais Regionais Federais deram 1 432 decisões contrárias ao afastamento de juízes por suspeição e apenas dezenove favoráveis. Há um afastamento, portanto, para cada 75 pedidos. É o que mostra levantamento da piauí nesses dois tribunais superiores e nos cinco TRFs, cortes em que tramitam os processos da Lava Jato.

No Supremo, a chance de um pedido desse tipo prosperar é ainda mais rara. De 2014 até agora, a Corte rejeitou 190 pedidos de suspeição de juízes feitos por advogados e pelo Ministério Público; no período, nenhum requerimento de suspeição foi concedido.

É justamente o STF que vai analisar, no próximo dia 25 de junho, um habeas corpus do ex-presidente Lula. A defesa de

Continue lendo na Revista Piauí.