Rede abandona Moro e líder diz: “Ministro cometeu crime tal qual corrupção”

A Rede foi o partido de oposição que mais lutou para tentar manter o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) subordinado ao Ministério da Justiça. Foi derrotada no Congresso.

Mas as gravações das conversas do então juiz Sérgio Moro com a força-tarefa da Lava Jato, reveladas pelo site “The Intercept Brasil”, fizeram um dos partidos que mais o defendia abandonar o ministro.

O líder da Rede no Senado disse ao blog que detectou nas gravações um “cometimento de injustiça” proposital, e que isto, por parte de um magistrado, “é um crime de igual teor quanto a corrupção”.

Para o senador, Sérgio Moro perdeu as condições de permanecer à frente da pasta da Justiça “e é praticamente impossível que venha a ser ministro do Supremo Tribunal Federal”. Diz o líder: “Aqui no Senado, tenho

Continue lendo na Tales Faria.