Entrevista reforça impressão de violência histórica contra Lula

Após duas horas de entrevista com o ex-presidente Lula, fica a impressão de que se cometeu uma violência histórica com a sua prisão. Lula sustenta a inocência com tenacidade, aponta argumentos consistentes e afirma que desmontar as acusações passou a ser sua missão de vida.

A entrevista reúne uma série de pontos: visita ao governo real que ele fez entre 2003 e 2010, equívocos da sucessora, Dilma Rousseff, o provável erro político de não ter disputado a Presidência em 2014, as acusações de corrupção decorrentes da Lava Jato, atual política externa e o governo Bolsonaro e o seu modelo econômico.

Ontem, no “Jornal da CBN – 2ª Edição”, foi feito um resumo da entrevista, realizada no último dia 3 de maio e cuja íntegra está no blog.

Continue lendo no Blog do Kennedy.