Operação cerca-índio

Um grupo de homens caminha por uma picada aberta na terra indígena Uru-Eu-Wau-Wau, oeste de Rondônia. Na mata existe uma placa de metal do órgão responsável por cuidar dos indígenas no Brasil, a Fundação Nacional do Índio (Funai). A placa, que informa ser ali o início da terra protegida, está crivada de balas.

Juruna, um dos líderes do povo Uru-Eu-Wau-Wau, acompanhado de três pessoas da aldeia, confronta os homens. “Aqui não pode não. No meio dos índios não pode”, ele diz, com arco e flecha nas mãos. Seu interlocutor afirma que as pessoas que estão ali “querem terra”. Ao ouvir Juruna repetir que na terra indígena não podiam entrar, o homem magro e de camiseta vermelha ameaça: “Hoje somos nós aqui, amanhã serão mais de duzentos, vocês podem esperar.”.

A cena, ocorrida em janeiro deste ano, foi gravada em vídeo por moradores da aldeia Linha 623, batizada com o

Continue lendo na Revista Piauí.