Para Bolsonaro, Guedes obtém deficit zero e o que vier do Congresso é lucro

A estratégia do presidente Jair Bolsonaro em relação ao Centrão, ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e ao Congresso em geral será a de manter a corda esticada.

Bolsonaro toma como base uma projeção do ministro da Economia, Paulo Guedes, para concluir que não precisa tanto assim do Congresso.

Nas contas do “Posto Ipiranga” do presidente, já está garantido o cumprimento de sua promessa de campanha de zerar o deficit já no primeiro ano de governo.

Guedes conta com a devolução ao Tesouro de R$ 200 bilhões emprestados pelo governo de Dilma Rousseff a BNDES, Banco do Brasil e Caixa Econômica. Mais R$ 80 bilhões de Privatizações e R$ 73 bilhões da cessão onerosa em barris de petróleo a receber da Petrobras.

São cerca de R$ 350 bilhões que, segundo o ministro. Garantem não só zerar o deficit nas despesas da União já em 2019, como tem reflexos para

Continue lendo na Tales Faria.