Curiosidades sobre a pesquisa Datafolha sobre o feminismo

A pesquisa Datafolha sobre o feminismo mostra contradições curiosas na distribuição das ideias no Brasil. Pessoas mais pobres, que votam na esquerda, são mais conservadores nos costumes, em especial para questões identitárias, como o feminismo.

Até mesmo entre eleitores que marcaram o PT como seu partido de preferência (14% do total dos eleitores, segundo o Datafolha), 39% responderam que “não apoiam” o feminismo.

Eu destaco alguns pontos:

Mais pobres são os que menos apoiam feminismo (apenas 49%). Apoio ao feminismo entre mais ricos é de 58%. Apoio ao feminismo entre mais jovens é forte (61%), e cai entre mais velhos. Apoio ao feminismo é mais forte entre profissionais liberais (84%), funcionários públicos (71%), estudantes (64%)  e donas de casa (100%) e mais fraco entre assalariados sem registro (43%), aposentados (49%) e empresários (43%). Entre simpatizantes do PT, 39% não apoiam o feminismo, mesmo número dos brasileiros sem preferência partidária;


Continue lendo no O Cafezinho.