Demissão de coronel do MEC expõe disputa entre militares e olavistas no governo Bolsonaro

Jornal GGN – Uma disputa entre duas frentes do governo de Jair Bolsonaro, os militares e os “olavistas”, ocasionando, inclusive, a demissão do diretor da Secretaria Executiva do Ministério da Educação, o coronel-aviador Ricardo Roquetti, expôs neste final de semana mais uma crise interna da gestão Bolsonaro.

O conflito começou após integrantes da pasta do grupo do escritor Olavo de Carvalho afirmarem que os militares do Ministério da Educação estariam tentando expurgá-los da pasta, com o suposto objetivo, entre outros, de impedir as investigações da “Lava Jato da Educação”, uma apuração sobre os contratos do Ministério em gestões anteriores, anunciada por Bolsonaro.

Após receber as acusações, Olavo usou as redes sociais, na última sexta (08) para pedir que seus alunos, indicados por ele para ocupar cargos na pasta de Educação de Bolsonaro, abandonassem o governo. No Facebook, Olavo de Carvalho chegou a dizer que os militares induziam o coronel-aviador da reserva, Ricardo Wagner Roquetti, do programa da Secretaria Executiva, a

Continue lendo no Blog do Nassif.