Bolsonaro desdenha de retaliação de Bebianno

Indagado por auxiliares sobre o teor de mensagens de texto e de áudio que trocou com Gustavo Bebianno desde a campanha eleitoral por e-mail ou WhatsApp, Jair Bolsonaro disse estar “tranquilo”. Desdenhou da hipótese de sofrer retaliação do ex-amigo que enxotou da Secretaria-Geral da Presidência. Assegura que não forneceu ao agora ex-ministro nada que se pareça com munição.

A autoconfiança de Bolsonaro não conseguiu tranquilizar todos os auxiliares que acompanham a gestão da crise. Em conversa com um amigo, neste domingo, um ministro fardado do governo disse: “Se o presidente estivesse realmente tranquilo, não teria tentado amarrar Bebianno numa diretoria de Itaipu”. Remanesce o receio de que a Presidência de Bolsonaro seja alcançada por alguma bala perdida.

Continue lendo no Blog do Josias.