Bolsonaro dança conforme a música no caso Coaf

Winston Churchil ensinou que certas verdades são tão preciosas que precisam ser protegidas por uma escolta de mentiras. No caso de Fabrício Queiroz, o correntista atípico, as versões são tão voláteis que os envolvidos parecem mais interessados em demonstrar não qual é a verdadeira, mas qual é a mais conveniente. Em nova manifestação sobre a encrenca, Jair Bolsonaro reposicionou-se em cena.

Bolsonaro em 3 de janeiro: ‘Quebraram o sigilo dele (…) para me atingir’

Nesta quinta-feira (3), em entrevista ao SBT, Bolsonaro queixou-se do vazamento do relatório em que o Coaf apontou a movimentação “atípica” de R$ 1,2 milhão na conta de Queiroz: “Falando aqui claro, quebraram o sigilo bancário dele sem autorização judicial. Cometeram um erro gravíssimo. E outra: a potencialização em cima dele e do meu filho [Flávio Bolsonaro] foi para me

Continue lendo no Blog do Josias.