A ÚLTIMA DO BRASILEIRO, PÁ!

(Da equipe do blog) – Em Lisboa, 19 horas. Nuvens negras se acumulam para os lados da Praça Luis de Camões e relâmpagos brilham, sinuosos, sobre o Castelo de São Jorge. Um conhecido, capixaba, que vem  descendo a pé o passeio, testemunha inesperadamente o encontro de dois cidadãos portugueses,  perto da Tasca Maitai, na rua da Rosa. -Tu por aqui, pá? E sozinho? Como está

Continue lendo no Mauro Santayana.