Cinema brasileiro e Fritz Lang – um cineasta exemplar

A maioria do eleitorado elegeu um extremista despreparado para a Presidência da República. Assim, lançou o país em uma aventura de altíssimo risco. Dominante há tempos, a incerteza atingiu agora seu paroxismo. Ameaças, arbitrariedades, discriminações, violências e manifestações de intolerância, ao que tudo indica demarcarão o novo governo e nossa vida a partir de agora.

O cinema brasileiro deu contribuição discreta para esse quadro desconcertante poder se impor. Os filmes produzidos no Brasil, em seu conjunto, foram incapazes de detectar, narrar e expor tendências de opinião majoritárias, inclusive a rejeição radical às práticas políticas e empresariais corruptas denunciadas a partir de 2005. Dessa forma, deixaram de cumprir um de seus principais papéis – o de antecipar conflitos e sentimentos dominantes.

Filmes isolados podem ter abordado temas correlatos, mas de forma geral tiveram alcance inexpressivo ou chegaram ao mercado com tamanho atraso que se tornaram anacrônicos. Em alguns casos, glorificando a

Continue lendo na Revista Piauí.