Jornalismo e democracia: construção e desconstrução

Publicado originalmente em objETHOS.

Num processo eleitoral atípico, ímpar na história recente do país, a imprensa protagonizou talvez uma de suas piores performances, paradoxalmente à inegável capacidade técnica e tecnológica de produzir um insumo democrático tão valioso que é a informação jornalística. O processo eleitoral se dá ainda no curso de um golpe institucional (protagonizado pelo Congresso, Judiciário, mídia hegemônica, com respaldo de forças políticas mais retrógradas da sociedade), que interrompeu a recente experiência democrática em curso, desde 1989. Neste texto, esboço respostas para a questão: qual a responsabilidade da mídia tradicional e hegemônica na desconstrução democrática por que passa o país, nos últimos cinco anos, em especial?

No começo de agosto, uma pesquisa do Ibope Inteligência apontava o peso da informação jornalística nas eleições: 7 em cada 10 eleitores afirmavam que usariam as notícias para decidir seus votos: “Mesmo com o advento da internet, a pesquisa mostrou ainda que


Continue lendo no Observatório da Imprensa.