Tristeza, raiva, insegurança e desânimo: sentimentos explicam opção política

Nada melhor do que a pesquisa do mesmo Datafolha divulgada nesta quarta-feira sobre os sentimentos que dominam a população brasileira no momento, para explicar a nova rodada sobre intenção de votos da véspera na eleição presidencial (ver post anterior), em que Bolsonaro cresceu e abriu 11 pontos de vantagem (32% a 21%) sobre Haddad, que viu sua rejeição disparar 9 pontos.

Quando pensam no Brasil de hoje o que as pessoas sentem?, perguntou a pesquisa publicada pelo jornal, bem resumida neste título: “Para maioria, pensar no país gera tristeza”.

A grande maioria respondeu que sente raiva (68%), desânimo (78%), tristeza (79%) e insegurança (88%).

Eu também sinto tudo isso há bastante tempo, como vocês sabem. Faço parte desta maioria.

Mais do que qualquer analista político, só psiquiatras e psicólogos poderiam explicar as duas pesquisas, uma complementando a outra, a apenas 4 dias da eleição.

Meu palpite é que o tresloucado

Continue lendo no Balaio do Kotscho.