Omissão e falso equilíbrio na cobertura de uma manifestação histórica

Publicado originalmente por objETHOS.

(Imagem: Odyr Bernardi)

O maior protesto político durante as eleições de 2018 entrou para a história no último sábado, 29, quando dezenas de milhares de mulheres saíram às ruas para gritar contra a candidatura de Jair Bolsonaro (PSL). Organizadas a partir da hashtag #EleNão, as manifestantes ocuparam cidades de todo o país para deixar claro que lutam pela democracia e não toleram valores antidemocráticos, misóginos, racistas e homofóbicos, expressos na figura do atual líder das pesquisas eleitorais.

Tomar as ruas, no entanto, não foi motivo suficiente para uma cobertura jornalística que fizesse jus ao momento histórico. Relatos e fotos comprovam o volume robusto de mulheres que saíram de suas casas, embora o número oficial de pessoas participantes não tenha sido estimado pela própria polícia. Na capital paulista, estima-se que 150 mil cidadãos estiveram presentes no ato.

Em paralelo aos protestos contra Bolsonaro, militantes favoráveis ao capitão


Continue lendo no Observatório da Imprensa.