Moro interfere na eleição a favor de Bolsonaro e contra Haddad

Numa nova interferência do Judiciário no processo político-eleitoral, o juiz Sergio Moro tornou público o acordo de delação do ex-ministro da Fazenda Antonio Palocci Filho. A seis dias do primeiro turno da eleição presidencial, Moro ajudou Jair Bolsonaro (PSL) e prejudicou Fernando Haddad (PT).

A delação teve grande exposição pública e será tema do noticiário na reta final da primeira etapa das eleições. Moro reacendeu acusações antigas contra o PT. Assim, ajudou o candidato do PSL neste momento da campanha por meio de um ato que poderia ter adiado para depois das eleições.

O Ministério Público Federal rejeitou acordo de delação com Palocci por entender que o ex-ministro apresentou informações que já constavam de colaborações de Marcelo Odebrecht, Joesley Batista, Paulo Roberto Costa, Alberto Youssef e Renato Duque, entre outros.

Não é a primeira vez que Moro interfere no processo político. Em março de 2016, o juiz federal divulgou ilegalmente

Continue lendo no Blog do Kennedy.