Bolsonaro e Mourão podem romper já na campanha

A seguir, notas sobre os comentários de quinta-feira no “Jornal da CBN – 2ª Edição”:

*

Fogo amigo

Jair Bolsonaro e Hamilton Mourão podem protagonizar uma inovação histórica no Brasil: rompimento do vice com o presidente durante a campanha eleitoral e não ao longo do governo.

Na história recente do país, há dois casos ilustres. Itamar Franco rompeu politicamente com Fernando Collor de Mello antes de crescer o movimento pelo impeachment em 1992. Numa carta em que falava da condição de “vice decorativo”, Michel Temer expôs o mal-estar na convivência com Dilma Rousseff que seria um dos ingredientes que levariam à queda da petista em 2016.

Considerado trapalhão por auxiliares de Bolsonaro, Mourão tem dado declarações desastradas em série, reforçando o tropeço do economista Paulo Guedes ao falar em nova CPMF e numa alíquota de Imposto de Renda que prejudicaria segmentos de menor do renda dos trabalhadores.

Num momento ruim,

Continue lendo no Blog do Kennedy.