‘Mulheres estão na vanguarda da luta contra o fascismo no Brasil’

A socióloga Esther Solano, professora da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), avalia que há risco de fascismo no Brasil. “Sem dúvida”, ela respondeu a uma pergunta feita no contexto de se seria possível falar dessa ameaça, já que o termo “fascista” tem sido muito usado no país.

Nas palavras de Solano, há políticos que fazem um “discurso claramente fascista”. Jair Bolsonaro, candidato do PSL à Presidência, está entre eles. Tem prosperado um tipo de política que mobiliza o ódio, diz a socióloga.

Solano considera que o movimento de mulheres contra Bolsonaro “é extraordinário” e “tem potencial de criar uma certa frente contra o fascismo”. Segundo ela, as mulheres tem sido muito atacadas nesta eleição presidencial, especialmente num país patriarcal como o Brasil.

A socióloga afirma que as mulheres estão “na vanguarda da luta contra o fascismo”. Ela acha simbólico tal movimento diante da dificuldade das mulheres para entrar na política

Continue lendo no Blog do Kennedy.