Cenários na reta final: Haddad, Bolsonaro e as operações para criar a “terceira via”

por Rodrigo Vianna

A duas semanas da eleição, parece muito próxima de se cumprir a previsão que fizemos aqui, em agosto (quando Haddad tinha menos de 5% das intenções de voto e Bolsonaro ainda não havia furado o teto dos 20%): o segundo turno se dará entre os candidatos do PT e do PSL – quem tiver interesse, pode clicar aqui para entender melhor porque prevíamos que essa seria uma eleição sob o signo do “anti-sistema”.

Alckmin e os tucanos revelam desespero, e estão quase fora do jogo, mas podem cumprir o papel de desgastar um pouco Bolsonaro antes do segundo turno.

Ciro Gomes mostra uma resistência impressionante, ao manter-se na briga, mesmo sem contar com estrutura nem tempo na TV. Foi por isso que escrevi há alguns dias nas redes sociais que é preciso respeitar a candidatura de Ciro.  

Marina derreteu, e joga para cumprir tabela apenas. Não me

Continue lendo no Escrevinhador.