A importância singular de Otavio Frias Filho para o jornalismo brasileiro

A trajetória do publisher, jornalista, ensaísta e escritor Otavio Frias Filho, que morreu em São Paulo, na última terça-feira, 21.08, é representativa, não só da valorização do jornalismo como instituição fundamental à democracia, como também da necessidade de crítica constante sobre a mídia e o fazer jornalístico. Quando Alberto Dines criou, nos idos dos anos 1970, a coluna “Jornais do Jornais” no extinto Jornal da Tarde, publicação da família Frias, Otavio Filho era um jovem que já escrevia editoriais da Folha de S.Paulo. Aos 18 anos de idade aprendia com o pai e com Cláudio Abramo — o jornalista que liderava o projeto editorial que tornou o jornal o mais moderno e plural do país — as intrincadas relações entre jornalismo e poder.

Alguns anos depois, quando atravessávamos a transição da ditadura para a democracia, Otavio Frias Filho assumia, aos 27 anos, a direção editorial do grupo. Era um momento


Continue lendo no Observatório da Imprensa.