Nossos domingos

Valentina de Botas

Depois de duas semanas no hospital, recuperação lenta e trabalhosa em casa, minha filha está recuperada. O resultado dos últimos exames confirmou a cura na quarta-feira retrasada. Pensem numa mãe feliz, exausta, com o cabelo implorando por um corte e uma hidratação, com o saldo negativo ainda maior no banco (remédios que salvam tua vida estão pela hora da morte) e tão grata. Minha filha, tanto tempo entre o quarto do hospital e o de casa, quis celebrar e sugeri o programa de que ela tanto gosta desde pequena: um piquenique num parque para desfrutar o calor e o sol que ainda desfigurariam o inverno por uns dias. Família e amigos contribuíram com bebidas, comidinhas, planejamento e o essencial: dividir alegria e afeto, o que sempre os multiplica. O assalto do lulo-desembargador Rogério Favreto ao domingo dos brasileiros não atingira aquela nossa trégua do cotidiano do país


Continue lendo no Blog do Augusto Nunes.