Collor atribui impeachment a erro na relação com Congresso

O ex-presidente Fernando Collor de Mello atribuiu o impeachment que sofreu em 1992 ao tratamento que deu ao Congresso Nacional. “Não foi o tratamento que o Congresso precisa e merece num sistema republicano e de presidencialismo de coalizão, que é o grande mal que assola o nosso país”, afirmou Collor, em entrevista ao “Jornal da CBN – 2ª Edição”.

Ele disse que o papel do presidente da República é fazer política, algo no qual falhou na relação com o Legislativo. Hoje senador pelo PTC de Alagoas, Collor foi eleito na primeira votação direta para presidente pós-ditadura de 64 e sofreu impeachment em 1992. Segundo ele, por não ter feito política, isso gerou uma “mágoa que se transformou em hostilidade” no Congresso. Depois da queda, o STF absolveria Collor das acusações de corrupção.

Na opinião de Collor, “foram cometidas muitas injustiças no processo a que está sendo submetido o ex-presidente Lula”.

Continue lendo no Blog do Kennedy.