“Faça-se a luz” e outras notas de Carlos Brickmann

Publicado na Coluna de Carlos Brickmann

O debate jurídico sobre a libertação de Lula pode parecer complexo, data vênia, pois decisões contraditórias abundaram. Mas, como diz a frase de amplo uso no setor jurídico, “quod abundat non nocet” – ou, no velho e bom Português, “o que abunda não prejudica”. Logo, não há prejudicados.

Façamos um paralelo com a Copa. O suíço fez falta em Miranda antes de marcar o gol de empate? Pois, no caso, basta esperar o árbitro olhar para o outro lado, chamar três deputados militantes e consultar o bandeirinha. O bandeirinha contraria o juiz e, sob aplausos dos nobres parlamentares, diz que não foi gol. O VAR, aquele juiz que fica vendo o jogo na TV, entra em campo e confirma o gol. O bandeirinha se revolta: ninguém chamou o juiz do vídeo, como é que ele se atreve a palpitar no jogo? O árbitro da


Continue lendo no Blog do Augusto Nunes.