Ao defender trabalhador, Ciro se sai bem de vaia empresarial

O pré-candidato do PDT, Ciro Gomes, saiu-se bem ao responder às vaias que recebeu ontem de uma parte dos empresários que estavam na sabatina da CNI (Confederação Nacional da Indústria) com presidenciáveis. O encontro de seis pré-candidatos aconteceu em Brasília.

Ciro respondeu que era positivo ter sido vaiado ao defender trabalhadores. Ele criticou a reforma trabalhista num ambiente empresarial, classificando as mudanças feitas de “selvageria” e dizendo que, se eleito, reavaliaria a anulação de algumas das medidas aprovadas na gestão Temer.

O tucano Geraldo Alckmin falou o que a plateia queria ouvir. Defendeu menor alíquota de Imposto de Renda para pessoas jurídicas. Na conversa com a imprensa, ele usou o tom professoral e calmo de sempre, escandindo as sílabas. Esse é o estilo de Alckmin, mas talvez ele esteja fora do tom para uma eleição em que Ciro e Jair Bolsonaro (PSL) agem de forma mais incisiva.

Bolsonaro, aliás, foi

Continue lendo no Blog do Kennedy.