Pátria de chuteiras virou a pátria das togas triunfantes

Saem Neymar e Tite, entram Gilmar Mendes e Cármen Lúcia.

A pátria de chuteiras batizada pelo Nelson Rodrigues virou a pátria das togas triunfantes que monopolizam o noticiário.

Em plena Copa do Mundo, os meritíssimos não saem das manchetes, dos editoriais, das colunas e dos cometários nas redes sociais. Só dá eles.

Os números não mentem: nos assuntos mais comentados da semana que a Folha publica aos domingos, o STF ocupa 13% do Painel do Leitor, empatado na liderança com a própria Copa do Mundo.

O que diria Nelson Rodrigues se fosse vivo diante desta anomalia institucional, que não se vê em nenhum outro país do mundo, a ponto de todo mundo saber o nome dos 11 ministros do Supremo, mas poucos sabem escalar os 11 do Tite.

Sob o comando supremo de Cármen Lúcia, que agora enfeixa os três poderes em suas mãos, coadjuvada pelo protagonismo onipresente de Gilmar Mendes,

Continue lendo no Balaio do Kotscho.