Por que só damos valor para o que perdemos, e não para o que temos?

Acostumados com água na torneira e luz elétrica desde que nascemos, não nos conformamos em ficar um dia sem estas benfeitorias.

Quando as prateleiras cheias dos supermercados se esvaziaram de um dia para outro na greve dos caminhoneiros, muita gente entrou em pânico e começou a pedir intervenção militar.

Sem combustível para tirar os carros da garagem, motoristas se viram obrigados a usar transporte público, e só então descobriram como são privilegiados num país onde multidões vão e voltam do trabalho a pé por não ter dinheiro para a condução.

Um dia sem internet causa crise de abstinência em muita gente.

Criados nos trópicos, sofremos com o frio quando vamos trabalhar em países onde o sol passa meses sem dar a cara.

Habituados a trocar de emprego para ganhar mais quando a economia vai bem, perdemos o chão ao ficar desempregados de uma hora para outra.

Só damos valor ao

Continue lendo no Balaio do Kotscho.