Movimentos de direita germinaram em protestos de 2013

A cientista social Esther Solano, professora da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), avalia que movimentos de direita que participariam da derrubada de Dilma Rosseff nasceram durante as manifestações de junho de 2013.

Segundo ela, a parcela que era favorável à queda de Dilma não era significativa em 2013, mas “os germes” desses movimentos já estavam nas ruas naquele ano. Ela cita como exemplo o MBL (Movimento Brasil Livre), que viu então “um potencial de mobilização muito grande”.

Para Esther Solano, “o ponto de inflexão mais importante é a eleição de 2014”, que deixou um país “polarizado” e permitiu que ganhassem corpo em 2015 os protestos para derrubar o PT do governo. “Tudo mudou em 2 anos, basicamente.”

Ela diz que um legado positivo das manifestações de 2013 foi “a sociedade brasileira começar a falar mais de política”. No entanto, a cientista social pondera que cresceu também “o discurso da

Continue lendo no Blog do Kennedy.