Caminhoneiros argentinos farão greve como a dos brasileiros

O líder do sindicato dos caminhoneiros argentinos, Hugo Moyano, confirmou que haverá greve de sua categoria na próxima quinta-feira (14). A categoria pede a reabertura das negociações paritárias, em que o governo fixa o limite dos reajustes anuais de cada categoria.

Neste ano, este limite ficou em 15%, segundo a meta de inflação calculada no fim do ano. Agora, nem economistas independentes nem o governo consideram que a cifra possa ser atingida.

O governo declarou que os aumentos podem chegar, então, a 20%, mas Moyano afirmou que “não aceitaremos menos do que 27%”, que foi o índice de inflação registrado no ano de 2017.

“A medida de força foi decidida hoje (segunda-feira) em assembleia geral”, disse Moyano à imprensa local, mas desmentiu o que vinha sendo ventilado na semana passada, de que a greve seria “como a brasileira”. Afirmou que “não haverá bloqueio de estradas, mas não trabalharemos”.

A Federação

Continue lendo no Eduardo Guimarães.