Tucanos em transe: Alckmin atira guardanapo, mas não joga toalha

Jantares em locais elegantes são um velho ritual dos tucanos para tomar decisões e decidir suas pendengas, desde os tempos de FHC.

Reunidos nesta segunda-feira num hotel do bairro dos Jardins em São Paulo, os cardeais do partido assistiram a uma cena inusitada, que partiu de quem menos se podia esperar.

Cansado de ouvir cobranças para fazer deslanchar a sua candidatura presidencial, Geraldo Alckmin, logo ele, conhecido como “Picolé de Chuchu”, perdeu a paciência.

Atirou um guardanapo sobre a mesa, interpelou os comensais se eles queriam trocar o candidato a presidente e, se fosse o caso, que indicassem outro nome, como relata Igor Gielow, na Folha.

Alckmin ameaçou, mas ainda não jogou a toalha, até porque o partido não tem muitas opções.

O ex-prefeito e candidato a governador João Doria, que estava só à espreita para se lançar no lugar dele, diante do nanismo de Alckmin nas pesquisas, também aparece

Continue lendo no Balaio do Kotscho.