O Brasil precisa é de uma “revolução” cultural, não de agitadores das massas

Por Rodrigo Constantino

Durante a lamentável greve dos caminhoneiros, que parece ter tido como resultado, além da morte de um inocente, a volta do congelamento de preços e dos “fiscais de Sarney”, muitos à “direita” se animaram com a possibilidade de uma revolução redentora. O problema desses “revolucionários de Facebook” foi ignorar o que seu próprio guru, que também se deixou seduzir pela ideia, sempre alertara: para mudar mesmo o país era necessário, antes, construir uma elite intelectual ro… Leia mais →


Continue lendo no Blog do Rodrigo Constantino.