O sócio do primo de Alckmin arrematou imóvel de Guarujá que levou Lula à prisão. O que tem a porca com o prego? Petralhas não mudam nada

Tríplex mais famoso da história do Brasil. Quem o quer? E para quê?

Ah, tenham a santíssima paciência!

O troço só é notícia porque, na era das redes sociais, a interpretação costuma preferir o caminho da maledicência. A que me refiro?

O sujeito que arrematou em leilão judicial o tal tríplex de Guarujá que acabou levando Lula à cadeia é sócio de um advogado que é primo de Geraldo Alckmin, candidato tucano à Presidência.

E daí?

Cadê a notícia?

Fernando Gontijo, o comprador, divide com José Augusto Rangel de Alckmin uma empresa imobiliária. O sujeito criou uma empresa, a Guarujá Participações, apenas para arrematar o imóvel, por R$ 2,2 milhões. Ele disse achar um bom negócio. Ah, sim: Gontijo aparece nos tais “Panama Papers”. Teria utilizado uma offshore para adquirir por US$ 2,7 milhões (R$ 9,9 milhões) dois apartamentos nos condomínios Trump Tower I e II, em Miami, nos EUA.


Continue lendo no Reinaldo Azevedo.