Escrever, escrever, escrever: para que escrever tanto se faltam leitores?

A concorrência é grande, cada vez maior, tornou-se infinita.

Todo mundo agora virou escritor e jornalista, passa boa parte do seu tempo escrevendo.

Haverá leitores, afinal, para tanta escrita?

Tenho a impressão que hoje em dia as pessoas mais escrevem do que falam ou leem qualquer coisa fora da internet.

Digita-se o tempo todo em celulares, teclados de computador e de tablet.

Ao contrário do que acontece com as conversas, o que se escreve fica para sempre armazenado nas nuvens cibernéticas.

Não temos mais como escapar desta febre que virou escravidão porque precisamos responder aos que nos escrevem.

De manhã, ao acordarmos, já tem mensagens no zap-zap e no e-mail, aguardando uma resposta.

No meu caso, tenho que ler também o noticiário no papel e na blogosfera, moderar e eventualmente responder comentários neste blog, antes de começar a escrever para o jornal ou o para Balaio.

Já nem me lembro

Continue lendo no Balaio do Kotscho.