O protagonista do escândalo que abriu o festival de horrores da Era Lula

Publicado em 30 de abril de 2009

No inverno de 2002, a campanha eleitoral estava em seu começo quando o bicheiro Carlinhos Cachoeira foi convidado para uma conversa com Waldomiro Diniz, presidente da Loterj ─ empresa estatal que administra as  loterias do Rio. Por saber com quem lidava, o delinquente carioca tratou de gravar o encontro, ocorrido numa pequena sala do aeroporto de Brasília, com uma câmera oculta. Por motivos ainda ignorados, só liberou o vídeo para exibições na TV em fevereiro de 2004.

Apesar da má qualidade das imagens e do som, o filmete fez muito sucesso. Com a voz e o olhar de pecador no confessionário, o presidente da Loterj tenta obrigar o bicheiro a anabolizar com contribuições de bom tamanho tanto a campanha da governadora Benedita da Silva, candidata à reeleição pelo PT, quanto a de Rosinha Garotinho, a adversária lançada pelo PMDB. A demonstração de generosidade, insinua Waldomiro, seria retribuída na


Continue lendo no Blog do Augusto Nunes.