A ideologia na cobertura dos noticiários internacionais

Em seus manuais de redação, a grande mídia brasileira constantemente procura aparentar imparcialidade. No entanto, o repertório lexical por ela utilizada, a concessão de mais espaço a uma notícia em detrimento de outras, a maneira como é desenvolvida a cobertura de um acontecimento, a escolha do título de uma matéria e os critérios para a localização de uma foto são exemplos de posturas que deixam transparecer posicionamentos ideológicos e eliminam qualquer ideia de uma possível neutralidade da informação. Os grandes grupos de comunicação geralmente servem aos interesses de governos ou das empresas que os financiam. Ao contrário do preconizado pela “Teoria do Espelho”, as coberturas jornalísticas não são reflexos fidedignos da realidade, capturados objetivamente, sem nenhum tipo de interferência do olhar do observador. Os noticiários são construções sociais sobre a realidade que ganham materialidade através de determinadas práticas discursivas. Valores subjetivos e a maneira de conceber o mundo do produtor


Continue lendo no Observatório da Imprensa.