Quando a meritocracia se torna a ideologia da desigualdade, por Jailson de Souza e Silva

Categoria:  Sociedade

  Por Jailson de Souza e Silva¹   No Observatório e Favelas   A revolução francesa realizou um grande feito histórico quando permitiu a superação do princípio feudal de que as pessoas² seriam naturalmente desiguais, em decorrência de sua origem social. A ideia de que todas são iguais – mesmo que uma igualdade restrita à lei e ao poder do Estado – representou uma verdadeira revolução do ponto de vista conceitual, jurídico e social. Nasceu, então, o discurso do mérito pessoal como um elemento justificatório das condições sociais alcançadas pelos sujeitos, reconhecidos em suas diferenças a partir da biologia, do ethos trabalhador e mesmo da moral. Desde então, o discurso meritocrático se tornou a principal forma de legitimação das desigualdades no mundo social ocidental. E o tipo ideal de herói capitalista passou a ser o “self made man” – na típica linguagem sexista, seria o

Continue lendo no Blog do Nassif.