Sem mudar Previdência, agenda reformista de Temer pode fracassar

Com o eventual fracasso da proposta de mudanças na Previdência, a agenda de reformas do presidente Michel Temer correrá risco, incluindo projetos que já foram aprovados e medidas que o governo ainda quer submeter ao plenário da Câmara e do Senado.

Sem a reforma da Previdência, será difícil que o próximo governo consiga cumprir a regra que impõe um teto para o crescimento das despesas públicas. Quando a PEC do Teto foi aprovada, em 2016, ela estava colada à necessidade de votação da reforma da Previdência.

O governo errou ao adiar a votação da reforma da Previdência, veio a delação da JBS em maio do ano passado e afundou essa articulação, que vem patinando desde então. O Palácio do Planalto gastou munição para barrar duas denúncias na Câmara contra o presidente Michel Temer, o tempo passou, as eleições se aproximaram e as dificuldades cresceram.

Já houve uma redução em despesas

Continue lendo no Blog do Kennedy.